HISTÓRIA
Os presidentes do Sincohab:

Gerson Primiani da Silva (interino)
Período: Agosto-1991 a Dezembro - 1992
Ailton Franco de Godoy
Período: 1992-1996
Manoel Dias do Nascimento
Período: 1996 - 1999
Manoel Dias do Nascimento
Período: 2002-2005
Manoel Dias do Nascimento
Período: 2005-2008
Manoel Dias do Nascimento
Período: 2008 - 2011
Renato Roberto Ribeiro
Período: 2011-2014
Renato Roberto Ribeiro
Período: 2014- 2017
Gerson Primiani da Silva (Atual)
Período: 2017- 2020

Histórico Sincohab

Com o fim da ditadura militar e a redemocratização com a promulgação da Constituição de 1988, diversas categorias de trabalhadores se encontravam desorganizadas e também pulverizadas em diversas associações de classes e até mesmo em sindicatos com finalidades difusas e sem atender as necessidades básicas dos trabalhadores.

Esse era a situação dos trabalhadores do setor habitacional, principalmente no setor público no Estado de São Paulo. A categoria estava dispersas em diversas cidades e empresas públicas municipais, como o caso das Cooperativas Habitacionais (Cohabs) nos municípios e também na capital. Enfim, em todo o Estado de São Paulo.

É nesse cenário preocupante para a categoria que um grupo de sindicalistas se reuniu no inicio da década de 90 para criar o Sincohab. O objetivo foi o de unir os trabalhadores das empresas públicas das áreas habitacionais, e também das cooperativas que começavam a se organizar em todo o Estado, principalmente na Capital.


Outro problema, além da divisão de trabalhadores em diversas associações e sindicatos, era a falta de um "patrão" que pudesse ser cobrado no caso de não atendimento dos itens acertados no dissidio coletivo. Na maioria das vezes as reivindicações ficavam engavetadas. Isso porque a cada período eleitoral, os presidentes, administradores, e superintendentes eram trocados e os substitutos não se responsabilizavam pelas conquistas obtidas pelos trabalhadores quando do dissidio coletivo.

Mas essa situação começou a mudar em agosto de 1991. Depois de um árduo trabalho de sindicalistas, trabalhadores da Empresa Municipal de Urbanização (EMURB-SP), da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), das Cohabs de várias unidades e de cooperativas habitacionais, com o apoio da Central Única dos Trabalhadores (CUT), foi fundado o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Planejamento e Desenvolvimento Urbano, Empresas e Cooperativas habitacionais no Estado de São Paulo - Sincohab.

Ao ser fundado, o Sincohab teve como presidente (interino) Gerson Primiani da Silva, no período de 24-08-1991 a 18-12-92, que teve a incumbência, entre outras tarefas, de realizar a primeira eleição geral da direção executiva da entidade.

Nesse período de interinidade, Gerson Primiani teve de lidar com as questões burocráticas e legais da entidade. Na época, os profissionais que hoje compõe o Sincohab eram filiados a diversas associações de funcionários e também ao Sindicato da Construção Civil do Estado de São Paulo e nenhuma dessas entidades queria perder a prerrogativa de manter em seus quadros esses profissionais que, por sua vez, queriam ter uma representatividade mais efetiva na área pública.

Gerson Primiani lembra que na sua interinidade também enfrentou problemas com dirigentes e políticos das empresas públicas que pertenceram ao regime militar. Segundo ele, a atividade sindical não era muito bem aceita por eles, principalmente com um sindicato de atuação combativa como o Sincohab. O resultado disso foi várias demissões de diretores do Sincohab como as feitas pelo prefeito Reynaldo de Barros (PDS), afilhado político do Paulo Salim Maluf, ambos egressos do regime militar.

O primeiro presidente eleito e efetivo do sindicato assumiu e comandou o Sincohab foi Ailton Franco de Godoy entre 1992 e 1996. Ailton Godoy teve de continuar a luta e vencer os desafios para organizar os trabalhadores e conquistar benefícios salariais e sociais. Segundo ele, o Sincohab foi a primeira entidade sindical a conquistar o direito de reajuste mensal determinado pelo Dieese - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. "Essa conquista foi beneficiou só os trabalhadores da Emurb, mas de qualquer na forma, na época, foi uma grande vitória na área sindical e do Sincohab", destacou Godoy. Ele também lembrou que a luta pela manutenção do reajuste pelo índice do Dieese levou os trabalhadores da empresa a realizar uma greve que duraram seis dias.

Nos últimos 25 anos, as lutas defendidas pelo movimento sindical e pelo Sincohab, capitaneados principalmente pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), ficaram marcados pelas lutas de organização e representação sindical dentro das empresas, aumento real de salário  e também pela reposição salarial como o "gatilho salarial", devido a alta inflação enfrentada pelo País no final da década de 80 até meados dos anos 90.

Com a implantação do Plano Real em meados dos anos 90, o Sincohab conseguiu que muitas de suas reivindicações sindicais e dos profissionais da área fossem atendidas pelas empresas estatais. Foram avanços a aceitação do acordo coletivo por empresa, o direito a representação sindical nos locais de trabalho, além do aumento real de salários e políticas internas de cargos e salários.

Na última década, a luta do Sincohab também foi marcada pela conquista na Participação nos Lucros e Resultados (PLR) das empresas que trouxe benefícios financeiros para todos os profissionais da área. Atualmente, o Sincohab também está expandindo sua área de atuação para junto da sociedade. Participa de Fóruns de debates sobre a intervenção e políticas públicas nas áreas de habitação, saneamento, mobilidade urbana e de planejamento.

Eleito para o período 2017/2020, Gerson Primiani destaca que as alterações da Legislação Trabalhista serão o grande desafio na atuação do sindicalismo brasileiro. No que diz respeito à área de atuação do Sincohab, a terceirização da mão de obra no serviço fim das empresas públicas e a contratação de trabalhadores por Pessoa Jurídica (pejotização) vai dificultar as negociações salariais e de reivindicações gerais, além de poder perder vários benefícios como o Vale Refeição e o Vale Transporte, por exemplo.

Atualmente, o Sincohab está presente nas mais diversas regiões no Estado de São Paulo, como as cidades de Bauru, Campinas, Santos e São Paulo e cada empresa de planejamento urbano e habitacional estão representadas por diretores eleitos pelos profissionais de cada unidade.

Com sede própria, localizada na Rua 7 de abril, região central da capital, o Sincohab atende a centenas de filiados na defesa de seus direitos e reivindicações, além de oferecer os mais variados serviços como apoio jurídico, cursos e seminários diversos, e também disponibilizar vários convênios nas áreas de saúde, educação e lazer.